terça-feira, 17 de abril de 2012

Pensem nisto, pois: Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz, comete pecado. Tiago 4:17.

image

Prometendo-lhes liberdade, eles mesmos são escravos da corrupção, pois o homem é escravo daquilo que o domina.2 Pedro 2:19.

Certa vez questionei a afirmação de um conhecido em relação a uma pessoa que ele lamentava ter morrido por acreditar que era uma: Boa Pessoa. Disse a ele que a questão de ser bom era mas que uma qualidade individual e sim, uma condição inerente ao ser humano. Porém que a sua aplicação da forma como é praticada no mundo é relativa, pois, privilegia a pessoa a quem escolhemos  sermos bons. O que contraria o ensinamento do versículo acima, que determina que sejamos bons com todos e de preferencia em todos os momentos.

O próprio Jesus deu exemplos deste principio ao longo da sua caminhada enquanto aqui esteve. Contrariando as determinações “religiosas” da época, Ele curou no sábado: Noutra ocasião ele entrou na sinagoga, e estava ali um homem com uma das mãos atrofiada.
Alguns deles estavam procurando um motivo para acusar Jesus; por isso o observavam atentamente, para ver se ele iria curá-lo no sábado.
Jesus disse ao homem da mão atrofiada: "Levante-se e venha para o meio".
Depois Jesus lhes perguntou: "O que é permitido fazer no sábado: o bem ou o mal, salvar a vida ou matar? Mas eles permaneceram em silêncio.
Irado, olhou para os que estavam à sua volta e, profundamente entristecido por causa dos seus corações endurecidos, disse ao homem: "Estenda a mão". Ele a estendeu, e ela foi restaurada.
Então os fariseus saíram e começaram a conspirar com os herodianos contra Jesus, sobre como poderiam matá-lo.
Jesus retirou-se com os seus discípulos para o mar, e uma grande multidão vinda da Galileia o seguia. Marcos 3:1-7

Nosso Senhor deixou claro que quando negligenciamos fazer uma boa obra para outra pessoa necessitada, mesmo se tivermos uma desculpa “religiosa” por não ter feito, cometemos pecado. Porém, não devemos fazer tais obras esperando receber recompensas como muitos fazem, achando que podem “pagar” pela sua salvação ou livrar-se dos seus pecados através de obras físicas. O principio da bondade de Deus, ensinada por Jesus é o amor!

Ele respondeu: " Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todas as suas forças e de todo o seu entendimento’ e ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’".
Disse Jesus: "Você respondeu corretamente. Faça isso, e viverá".
Mas ele, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: "E quem é o meu próximo? "
Em resposta, disse Jesus: "Um homem descia de Jerusalém para Jericó, quando caiu nas mãos de assaltantes. Estes lhe tiraram as roupas, espancaram-no e se foram, deixando-o quase morto.
Aconteceu estar descendo pela mesma estrada um sacerdote. Quando viu o homem, passou pelo outro lado.
E assim também um levita; quando chegou ao lugar e o viu, passou pelo outro lado.
Mas um samaritano, estando de viagem, chegou onde se encontrava o homem e, quando o viu, teve piedade dele.
Aproximou-se, enfaixou lhe as feridas, derramando nelas vinho e óleo. Depois colocou-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e cuidou dele.
No dia seguinte, deu dois denários ao hospedeiro e disse-lhe: ‘Cuide dele. Quando voltar lhe pagarei todas as despesas que você tiver’.
"Qual destes três você acha que foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes? "
"“Aquele que teve misericórdia dele”, respondeu o perito na lei. Jesus lhe disse: "Vá e faça o mesmo". Lucas 10: 27-37.

Jesus ensinava que as antigas escrituras já mostrava a importância de haver sempre o amor juntamente com a misericórdia conhecimento da vontade de Deus e o seu perdão através de Cristo, seriam estas as únicas condições que poderia livrar o homem da maldição do pecado:

Pois desejo misericórdia, não sacrifícios, e conhecimento de Deus em vez de holocaustos. Oséias 6:6

Vão aprender o que significa isto: ‘Desejo misericórdia, não sacrifícios’. “Pois eu não vim chamar justos, mas pecadores”. Mateus 9:13.

Contudo não devemos usar qualquer desculpa principalmente religiosa, seja, pela falsa ideia da salvação pelas obras ou tão pouco pela omissão de achar que não há quem devemos fazer o bem. Ou estaremos deixando uma coisa, ou outra, interferir com as verdadeiras oportunidades gloriosas e santas para servir aos outros no nome de Jesus.

O principio que irá levar a pessoa a entender a profundidade desse ensinamento é o de se colocar no lugar de quem achamos necessitar de ajuda. Nisso está o verdadeiro sentido da palavra Misericórdia = Sentimento doloroso causado pela miséria de outrem. Qualquer coisa, além disso, é querer justificar-se. E quão inútil é para o homem achar que pode se justificar perante Deus. Se bem soubesse que qualquer tentativa de justificação fora de Cristo é o mesmo que nega-lo diante de Deus, os homens não desperdiçariam tanto tempo com vãs tentativas de agradar a Deus por obras feitas por mãos humanas.

As obras da carne só servem para a satisfação da nossa própria carne. Deus só se agrada do que fazemos com total desprendimento das nossas concepções do que “podemos fazer para agrada-lo”. Não dá para entender que alguém possa achar que tenha condições pela sua humanidade de agradar a Deus pelas suas obras: Quem é dominado pela carne não pode agradar a Deus. Romanos 8:8. Quando o que Ele deseja, é que deixemos os ensinamentos de Jesus nos conduzir até Ele: Obedeçam-lhes não apenas para agradá-los quando eles os observam, mas como escravos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus. Efésios 6:6.

Talvez possam estar há se perguntar, que história é essa de ser: Como escravos de Cristo? Mas, penso que talvez possa explica-los da seguinte forma: A palavra de Deus mostra que antes de nos achegarmos a Cristo, todos éramos escravos do pecado! - Portanto, da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a morte, assim também a morte veio a todos os homens, porque todos pecaram; Romanos 5:12 - E que, pela Sua morte na cruz fomos libertos e estamos agora, pois, de fato livres da condição de pecador: Porque por meio de Cristo Jesus a lei do Espírito de vida me libertou da lei do pecado e da morte. Romanos 8:2 – E mais! A palavra afirma que somos feitos Filhos de Deus por adoção em Cristo: Contudo, aos que o receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus, João 1:12. Então, onde entra esta história de que Deus se agrada de sermos servos de Cristo?

A resposta para essa questão meus queridos (as) é que esclarece a condição de escravos ou servos de Cristo. Por mais que possa parecer “que agora sim complicou!” É justamente pelo fato de que após aceitarmos a Cristo, como nosso único e suficiente salvador e por consequência sermos libertos do pecado que nos aprisionava sem a possibilidade de escolha; podemos agora sendo realmente livres escolher a qual senhor deseja servir: Ao Senhor Jesus Cristo ou ao pecado? "Nenhum servo pode servir a dois senhores; pois odiará a um e amará ao outro, ou se dedicará a um e desprezará ao outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro". Lucas 16:13. Como pode ver neste versículo, mesmo que a pessoa pense e tente estar a serviço de duas possibilidades de coisas; nunca conseguirá servir de fato um ou outro se não escolher do lado de qual senhor, deseja realmente estar! Não há como servir dois senhores.

Neste importante detalhe consiste a verdadeira liberdade. Pois ainda que venhamos ser servos de Cristo. O que por sinal, seria totalmente compreensível se assim fosse, pensando em poder “quitar a impagável divida” por nossa salvação, pela sua morte na cruz. A escolha que fazemos é pela total liberdade de querer andar ao Seu lado, tanto assim que apesar de realmente sermos servos, não é assim que Ele nos vê: Já não os chamo servos, porque o servo não sabe o que o seu senhor faz. Em vez disso, eu os tenho chamado amigos, porque tudo o que ouvi de meu Pai eu lhes tornei conhecido. João 15:15.

A vida cristã meus queridos (as) não consiste dos mesmos prazeres que o mundo oferece, os quais pela nossa limitada e curta permanência se findarão com a morte. O objetivo principal do verdadeiro cristão seguidor de Jesus Cristo deve consistir na busca incansável do aperfeiçoamento para como servos sermos cada vez mais parecido com o Nosso Senhor e possamos alcançar por fim a melhor recompensa que é a vida eterna: Destruímos argumentos e toda pretensão que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levamos cativo todo pensamento, para torná-lo obediente a Cristo. 2 Coríntios 10:5

E conhecer o amor de Cristo que excede todo conhecimento, para que vocês sejam cheios de toda a plenitude de Deus. Efésios 3:19.

Afirmar que é cristão e não crer na vida eterna é o mesmo que negar a ressureição de Cristo e a sua promessa feita a nós: Asseguro-lhes que aquele que crê tem a vida eterna. João 6:47.

O momento é este! A hora é esta! Recebam Jesus Cristo como seu único e suficiente salvador e tenham a plena liberdade de servi-lo por amor e reconhecimento de tudo que Ele é para sua vida. Pois, Ele é a própria vida: Quem tem o Filho, tem a vida; quem não tem o Filho de Deus, não tem a vida. 1 João 5:12.

O que é que vocês terão a perder? Afinal sem Ele todos pecam e o que tem não é vida! - Pois o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor. Romanos 6:23.

Amém.

image

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Usem este espaço para testemunhar como este Blog mudou sua forma de relacionar-se com Jesus Cristo.