sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu. Hebreus 10:23

image

 

Como seria bom que o aumento crescente da participação do povo de Deus no Brasil fosse firmemente alicerçado na fé exclusiva em Jesus Cristo. Porém não é bem assim que acontece, principalmente quando vemos que as pregações realizadas na maioria das Igrejas Evangélicas com suas varias denominações nas placas. Claro que é bem melhor que se abra uma igreja a cada esquina do que um bar! Contudo melhor seria se todas fossem apenas a Igreja de Cristo. Nem sempre são em torno Dele.

Pois, afinal quem é o fiel que prometeu aquilo que é a razão da nossa esperança? Senão o próprio Jesus Cristo.

A falta de unidade relação ao único nome a qual importa ser reverenciado adorado glorificado exaltado por todos que Nele professam a sua fé, tem contribuído para que aja uma oscilação do numero real dos que podemos afirmar; que realmente retém a confissão feita quando aceitaram a Jesus. Muitos são levados pelas diversas circunstâncias da vida a se sentir impactado por uma pregação um louvor uma esperança! Contudo não se preocupam ou não são devidamente preparados em entender que há uma condição fundamental na vida de qualquer cristão que é a perseverança. E muitos após ter passado a “emoção do chamado” para aceitar Jesus; após terem criado uma falsa expectativa de que: Há! Agora vai ser tudo diferente, aceitei a Jesus e tudo na minha vida será uma benção.

Não são instruídos para a realidade que é a jornada de um cristão; não é com se fosse uma corrida de cem metros rasos, mas uma maratona. Não aprendem a cadenciarem os seus passos de acordo com a longa jornada que apenas está começando para poder chegar firmes ao final.

O Rei Salomão escreveu no livro de Eclesiastes a seguinte conclusão sobre a caminhada do homem na Terra: Percebi ainda outra coisa debaixo do sol: Os velozes nem sempre vencem a corrida; os fortes nem sempre triunfam na guerra; os sábios nem sempre têm comida; os prudentes nem sempre são ricos; os instruídos nem sempre têm prestígio; pois o tempo e o acaso afetam a todos. Eclesiastes 9:11.

A grande maioria de pessoas que buscam as igrejas com o proposito de encontrarem soluções para os problemas da vida carnal; infelizmente nem sempre são instruídas a buscar em primeiro lugar a compreensão do motivo pelo qual Jesus Cristo morreu por elas: Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas. Mateus 6:33.

Quando essas pessoas não são ensinadas com relação a esta verdade, fatalmente ficarão frustradas ao perceberem que não é bem aqui neste mundo que a verdadeira e melhor benção de Jesus será derramada. Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo. Efésios 1:3.

Duas coisas devem ser compreendidas e separadas na vida de quem aceitar a Jesus Cristo como seu SENHOR.

Uma é: Jesus não é contra a ninguém ser prospero. Mas o que devem procurar entender, é que a prosperidade que Jesus quer nos conceder está além do que pensam ser somente através do ganho financeiro. O ladrão vem apenas para furtar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente. João 10:10.

Porém a vida plena que Jesus deseja para todos que o seguem é muito mais do que apenas possuir coisas matérias. Não acumulem para vocês tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e furtam. Mas acumulem para vocês tesouros no céu, onde a traça e a ferrugem não destroem, e onde os ladrões não arrombam nem furtam. Mateus 6:19 e 20.

Infelizmente esta verdade tem sido deturpada por muitos que movidos por interesses diversos ou que apenas procuram satisfazer os interesses dos que vão as igrejas com intenção e compreensão erradas do Reino de Deus e não pregam a verdadeira razão pela qual importa aceitarmos a viver com Cristo. Que deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade. 1 Timóteo 2:4.

A outra e a principal; e que torna a esperança do cristão compensada em muito melhor recompensa do que todas as riquezas do mundo: A Salvação! Esta foi e ainda é a razão que motivou Jesus Cristo ser crucificado. Para que pudéssemos alcançar a ressurreição. Vocês estavam mortos em suas transgressões e pecados, Efésios 2:1.

Tenho levantado aqui no blog, questão em torno de onde vocês estão depositando a esperança de alcançarem a salvação? E faço isso com o coração cheio de verdadeira preocupação, afinal há pouco tempo atrás investir 45 anos e meio da minha vida depositando a minha em falsas promessas. Este Jesus é ‘a pedra que vocês, construtores, rejeitaram, e que se tornou a pedra angular’. “Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos”. Atos 4: 11e12.

Querem uma razão maior do que o que escrevo para mostrar que não há como depositar nossa esperança em tudo que aparenta tem forma ou projeta uma esperança à vista? Leiam este versículo e meditem nele: Pois nessa esperança fomos salvos. Mas, esperança que se vê não é esperança. Quem espera por aquilo que está vendo? Romanos 8:24.

A esperança é uma semente para desenvolver uma grande fé: Fé e conhecimento que se fundamentam na esperança da vida eterna, a qual o Deus que não mente prometeu antes dos tempos eternos. Tito 1:2

Se uma pessoa que aceita Jesus Cristo não acreditar na vida eterna, sinto dizer que não adiantará de nada tentar viver uma fé baseada no que é terreno e temporal. Assim, fixamos os olhos, não naquilo que se vê, mas no que não se vê, pois o que se vê é transitório, mas o que não se vê é eterno. 2 Coríntios 4:18

Escrevi-lhes estas coisas, a vocês que creem no nome do Filho de Deus, para que vocês saibam que têm a vida eterna. 1 João 5:13

E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna. 1 João 2:25.

Ainda no livro de Eclesiastes o Rei Salomão considerado não somente o homem mais rico que já houve, mas também o mais sábio descreve com grande sabedoria e experiência própria o que se resume a vida humana na Terra.

Pensei comigo mesmo: Vamos. Vou experimentar a alegria. Descubra as coisas boas da vida! Mas isso também se revelou inútil. Concluí que o rir é loucura, e a alegria de nada vale.

Decidi-me entregar ao vinho e à extravagância; mantendo, porém, a mente orientada pela sabedoria. Eu queria saber o que valesse a pena, debaixo do céu, nos poucos dias da vida humana. Lancei-me a grandes projetos: construí casas e plantei vinhas para mim.

Fiz jardins e pomares, e neles plantei todo tipo de árvore frutífera. Construí também reservatórios para regar os meus bosques verdejantes. Comprei escravos e escravas e tive escravos que nasceram em minha casa. Além disso, tive também mais bois e ovelhas do que todos os que viveram antes de mim em Jerusalém.

Ajuntei para mim prata e ouro, tesouros de reis e de províncias. Servi-me de cantores e cantoras, e também de um harém, as delícias do homem. Tornei-me mais famoso e poderoso do que todos os que viveram em Jerusalém antes de mim, conservando comigo a minha sabedoria.

Não me neguei nada que os meus olhos desejaram; não me recusei a dar prazer algum ao meu coração. Na verdade, eu me alegrei em todo o meu trabalho; essa foi a recompensa de todo o meu esforço. Contudo, quando avaliei tudo o que as minhas mãos haviam feito e o trabalho que eu tanto me esforçara para realizar, percebi que tudo foi inútil, foi correr atrás do vento; não há qualquer proveito no que se faz debaixo do sol.

Então passei a refletir na sabedoria, na loucura e na insensatez. O que pode fazer o sucessor do rei a não ser repetir o que já foi feito? Percebi que a sabedoria é melhor que a insensatez, assim como a luz é melhor do que as trevas.

O homem sábio tem olhos que enxergam, mas o tolo anda nas trevas; todavia, percebi que ambos têm o mesmo destino. Então pensei comigo mesmo: O que acontece ao tolo também me acontecerá. Que proveito eu tive em ser sábio? Então eu disse no meu íntimo: Isso não faz o menor sentido! Nem o sábio, nem o tolo, serão lembrados para sempre; nos dias futuros ambos serão esquecidos. Como pode o sábio morrer como morre o tolo?

Por isso desprezei a vida, pois o trabalho que se faz debaixo do sol pareceu-me muito pesado. Tudo era inútil, era correr atrás do vento. Desprezei todas as coisas pelas quais eu tanto me esforçara debaixo do sol, pois terei que deixá-las para aquele que me suceder.

E quem pode dizer se ele será sábio ou tolo? Contudo, terá domínio sobre tudo o que realizei com o meu trabalho e com a minha sabedoria debaixo do sol. Isso também não faz sentido.

Cheguei ao ponto de me desesperar por causa de todo o trabalho em que tanto me esforcei debaixo do sol. Pois um homem pode realizar o seu trabalho com sabedoria, conhecimento e habilidade, mas terá que deixar tudo o que possui como herança para alguém que não se esforçou por aquilo. Isso também é um absurdo e uma grande injustiça.

Que proveito tem um homem de todo o esforço e de toda a ansiedade com que trabalha debaixo do sol?

Durante toda a sua vida, seu trabalho não passa de dor e tristeza; mesmo à noite a sua mente não descansa. Isso também é absurdo. Para o homem não existe nada melhor do que comer, beber e encontrar prazer em seu trabalho. E vi que isso também vem da mão de Deus.

E quem aproveitou melhor as comidas e os prazeres do que eu?

Ao homem que o agrada, Deus recompensa com sabedoria, conhecimento e felicidade. Quanto ao pecador, Deus o encarrega de ajuntar e armazenar riquezas para entregá-las a quem o agrada. Isso também é inútil, é correr atrás do vento. Eclesiastes 2: 1 - 26.

Salomão é muitas vezes citado em pregações apenas como exemplo de homem de Deus prospero em riquezas matérias e nem tanto pela sua compreensão da inutilidade desta mesma riqueza. Porquanto as riqueza quando por maior que seja não será suficiente para resgaste de uma única alma.

No final dos seus dias já na velhice ele chegou a única conclusão possível: "Tudo sem sentido! Sem sentido! ", diz o mestre. "Nada faz sentido! Nada faz sentido! "
Além de ser sábio, o mestre também ensinou conhecimento ao povo. Ele escutou, examinou e colecionou muitos provérbios.
Procurou também encontrar as palavras certas, e o que ele escreveu era reto e verdadeiro.
As palavras dos sábios são como aguilhões, a coleção dos seus ditos como pregos bem fixados, provenientes do único Pastor.
Cuidado, meu filho; nada acrescente a eles. Não há limite para a produção de livros, e estudar demais deixa exausto o corpo.
Agora que já se ouviu tudo, aqui está a conclusão: Tema a Deus e guarde os seus mandamentos, pois isso é o essencial para o homem.
Pois Deus trará a julgamento tudo o que foi feito, inclusive tudo o que está escondido, seja bom, seja mal. Eclesiastes 12:8-14.

Enquanto aguardamos a bendita esperança: a gloriosa manifestação de nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo. Tito 2:13

Só Jesus Cristo Salva Cura e Liberta

Amém

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Usem este espaço para testemunhar como este Blog mudou sua forma de relacionar-se com Jesus Cristo.

Deus está no controle!

Ainda que eu não te ouça, pois o mundo faz de tudo para te calar! (Trecho da Canção Mar de Vidro de Rodolfo Abrantes) Apesar das inúmeras v...