terça-feira, 19 de abril de 2011

"Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei." Mateus 11 : 28

 

Jesus Escolheu Você

Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda. João 15:16

Uma das maravilhas que vivenciamos quando passamos a andar em direção a Jesus é quando sentimos que realmente Ele é quem nos escolheu para estarmos sobre sua proteção. Pois não a como e nem por nada que possamos imaginar que mereçamos tal privilégio.

Nenhum ser humano em época alguma pode vangloriar-se de ter alcançado a Jesus por meio da sua bondade, caridade, honestidade, humildade, integridade. Não existe nenhuma virtude pela qual o homem pudesse por tê-la ser merecedor do sacrifício de Jesus. Só houve um motivo que está acima de tudo que levou ao próprio Jesus aceitar ser o ultimo Cordeiro Pascoal o último Sacrifício pelo Sangue para a nossa Salvação: "Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3:16.

Estamos vendo diariamente os apelos comerciais para o consumo de Ovos de Chocolates supostamente gerados por Coelhos um mamífero roedor e erroneamente associado a Pascoa. Os mais complacentes com as soluções encontradas pelos homens para supostamente manterem vivas lembranças em relação a Jesus poderão dizer que não passa de uma tradição inocente. Porém vejam que a origem desta “inocente tradição” de associar ovos e coelhos a imagem de Jesus e pior associa-los ao seu sacrifício como se a Ele estivesse prestando adoração é mais uma das muitas blasfémias criadas por homens.

A origem do ovo de páscoa

Na Páscoa, a celebração da morte e ressurreição de Cristo serve como um momento especial para que os cristãos reflitam sobre o significado da via e do sacrifício daquele que fundou uma das maiores religiões do mundo. Contudo, muitos não conseguem visualizar qual a relação existente entre essa celebração de caráter religioso com o hábito de se presentear as pessoas com ovos de chocolate.
Para responder a essa pergunta, precisamos voltar no tempo em que o próprio cristianismo estava longe de se tornar uma religião. Em várias antigas culturas espalhadas no Mediterrâneo, no Leste Europeu e no Oriente, observaram que o uso do ovo como presente era algo bastante comum. Em geral, esse tipo de manifestação acontecia quando os fenômenos naturais anunciavam a chegada da primavera.
Não por acaso, vários desses ovos eram pintados com algumas gravuras que tentavam representar algum tipo de planta ou elemento natural. Em outras situações, o enfeite desse ovo festivo era feito através do cozimento deste junto a alguma erva ou raiz impregnada de algum corante natural. Atravessando a Antiguidade, este costume ainda se manteve vivo entre as populações pagãs que habitavam a Europa durante a Idade Média.
Nesse período, muitos desses povos realizavam rituais de adoração para Ostera, à deusa da Primavera. Em suas representações mais comuns, observamos esta deusa pagã representada na figura de uma mulher que observava um coelho saltitante enquanto segurava um ovo nas mãos. Nesta imagem há a conjunção de três símbolos (a mulher, o ovo e o coelho) que reforçavam o ideal de fertilidade comemorado entre os pagãos.
A entrada destes símbolos para o conjunto de festividades cristãs aconteceu com a organização do Concilio de Niceia, em 325 d.C.. Neste período, os clérigos tinham a expressa preocupação de ampliar o seu número de fiéis por meio da adaptação de algumas antigas tradições e símbolos religiosos a outros eventos relacionados ao ideário cristão. A partir de então, observaríamos a pintura de vários ovos com imagens de Jesus Cristo e sua mãe, Maria.
No auge do período medieval, nobres e reis de condição mais abastada costumavam comemorar a Páscoa presenteando os seus com o uso de ovos feitos de ouro e cravejados de pedras preciosas. Até que chegássemos ao famoso (e bem mais acessível!) ovo de chocolate, foi necessário o desenvolvimento da culinária e, antes disso, a descoberta do continente americano.
Ao entrarem em contato com os maias e astecas, os espanhóis foram responsáveis pela divulgação desse alimento sagrado no Velho Mundo. Somente duzentos anos mais tarde, os culinaristas franceses tiveram a ideia de fabricar os primeiros ovos de chocolate da História. Depois disso, a energia desse calórico extrato retirado da semente do cacau também reforçou o ideal de renovação sistematicamente difundido nessa época.
Por Rainer Sousa
Graduado em História
Equipe Brasil Escola.

É clara a deturpação do que é de Deus e mais uma vez os interesses estão acima do sentido da verdadeira Pascoa. O que vemos é o que é explicado pelo historiador acima: Os homens tinham que criar um atrativo para angariar seguidores da sua religião e não da doutrina de Jesus Cristo como ele também se engana ao associar essa religião a Jesus.

Em nenhuma passagem dos Evangelhos de Jesus – O Novo Testamento nem com toda má vontade humana poderão encontrar uma menção sequer de que Jesus criou ou deixou orientação para que fosse criada uma religião. Jesus ensinava a doutrina de Deus para ser cumprida pela observância dos seus mandamentos, os quais qualquer pessoa pode seguir e vive-los. O que Jesus nos deixou foi a Igreja que inclusive nem física seria necessária ser.

Esta passagem: "Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;" Mateus 16:18, é utilizada para justificar a criação da Igreja Católica e seu regime Papal. Irão se descabelar! Mais há mim pouco importa. Creio que quando Jesus afirmou isto a Pedro Ele falava exatamente ao contrario da ideia de que: sobre esta pedra. Quisesse dizer haver necessidade de uma construção física para estabelecer uma igreja e por fim chama-la de religião.

Nas cartas do Apostolo Paulo que foi o propagador da doutrina de Jesus para todos os povos não Judeus os Gentios, vemos o modelo de Igreja como uma vida em comunidade onde havia sim, lugares onde as pessoas se reuniam para orarem e adorar a Deus, este lugares podia ser uma casa, um estabulo, no campo ou onde estivessem: "Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles." Mateus 18 : 20. Vemos nas varias menção das suas cartas aos diversos seguidores de Jesus espalhados pela Ásia menor, Paulo exortar a unidade do compromisso entre as pessoas pelo único objetivo maior que é Jesus. "E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum." Atos 2 : 44.

Em outra passagem quando Jesus fala em parábolas sobre o Plantador da Vinha ele relembra aos Fariseus sobre o que as Escrituras diziam: Vocês nunca leram esta passagem das Escrituras? “A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular; isso vem do Senhor, e é algo maravilhoso para nós’ “. Marcos 12:10,11. Ora esta pedra não é outra se não Jesus! Que iria ser crucificado e morto por eles que o rejeitava.

Em todo Novo Testamento encontraremos 62 menções a palavra Pedra com variadas utilização. Mais em particular esta novamente faz menção a Jesus como a pedra que importa ser considerada: "Como está escrito: Eis que eu ponho em Sião uma pedra de tropeço, e uma rocha de escândalo; E todo aquele que crer nela não será confundido." Romanos 9:33.

Os teólogos com certeza me considerarão ignorante e sem conhecimento profundo das escrituras para respaldar o que afirmo. Contudo como já disse eu não escrevo neste blog nada que eu ou qualquer homem possa ter escrito ou dito sobre a palavra de Deus.

Eu vivo pela palavra de Deus e principalmente o Novo Testamento. Com já disse nem sequer faço um esboço do que irei escrever. Às vezes estou no trabalho, na mesa de uma lanchonete ou em um café no shopping e principalmente em casa e simplesmente acontece de ler um artigo alguns nem cristão, o devocional que recebo no e-mail etc. e o que faço é parar, orar e pedir ao Espirito Santo de Deus que me mostre o que, e como escrever o que quer que eu escreva. Loucura? Se eu não acreditar que possa ser usado pelo Espirito Santo assim como os 40 homens que escreveram as escrituras ao longo de quase 1600 anos e os inúmeros irmãos em Cristo que estão em algum lugar do mundo fazendo a mesma coisa! Não seria um Crente. "Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai." João 14 : 12.

Alinhado ao fato de que não desejo para mim o crédito daquilo que não seria capaz de por eu mesmo fazer, pois apenas espero que aconteça o que o Senhor disse: "Porque na mesma hora vos ensinará o Espírito Santo o que vos convenha falar." Lucas 12:12.

Voltando para o assunto Pascoa, mais próximo do dia estarei postando um artigo não de minha autoria mais com certeza muito inspirado pelo Espirito Santo que ajudará a compreenderem a real importância de Cristo nas nossas vidas.

Até lá procurem refletir sobre como poderá realmente demonstrar sua gratidão a Jesus e quando sentir aquela vontade de segui-lo. Lembrem-se! Foi Ele que te chamou para seus braços. Ele te amou primeiro.

Amém.

Vivo por Jesus

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Usem este espaço para testemunhar como este Blog mudou sua forma de relacionar-se com Jesus Cristo.

Deus está no controle!

Ainda que eu não te ouça, pois o mundo faz de tudo para te calar! (Trecho da Canção Mar de Vidro de Rodolfo Abrantes) Apesar das inúmeras v...