quarta-feira, 25 de julho de 2012

Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão. Gálatas 5:1

image

Não é a principal, mas penso, que seja uma das mais importantes conquista que se obtém após conhecer a palavra de Deus e aceitar a Jesus Cristo: Passar a desfrutar a verdadeira liberdade. Digo verdadeira! Porque quando estamos sem Jesus Cristo pensamos que tudo que fazemos, seja lá o que for, é pensado ser da nossa vontade, e nos faz pensar que somos livres. No entanto o que pensamos ser liberdade de fazer o que “queremos” é na verdade um estado de coisa que leva as pessoas a praticarem muitas vezes atos contrários ao que seria correto, pela única razão de ser uma pratica comum a todos. O que invariavelmente leva as pessoas a também pecar contra a lei de Deus e sofrer muitas vezes por consequência: Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado. João 8:34.

Diferente desta ilusória liberdade; quem aceita a Jesus Cristo como Seu Senhor e Salvador passa a ter a condição de escolher dizer não ao pecado: Mas agora, libertados do pecado, e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna. Romanos 6:22. Já que a razão que o leva a tomar uma decisão, passa ser baseada na verdade que somente Jesus Cristo é capaz de oferecer: Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. João 14:6.

Neste capitulo da carta do apostolo Paulo aos Gálatas, vemos a preocupação do apostolo em esclarecer que não é possível uma vez tendo sido libertado por Jesus do julgo da escravidão das obrigações religiosas seus dogmas tradições e costumes, continuar praticando o que não esteja de acordo com o seu evangelho.

Eis que eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará.
E de novo protesto a todo o homem, que se deixa circuncidar, que está obrigado a guardar toda a lei.
Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído.
Porque nós pelo Espírito da fé aguardamos a esperança da justiça.
Porque em Jesus Cristo nem a circuncisão nem a incircuncisão tem valor algum; mas sim a fé que opera pelo amor. Gálatas 5:2-6.

Aqui o apostolo Paulo, tomou como exemplo a tradição judaica da circuncisão física para mostrar como não é necessário continuar a praticar o que para Deus deixa de ser importante mediante o sacrifício de Jesus Cristo. O cristão verdadeiramente seguidor de Cristo, não precisa de marcas exteriores para mostrar quem é! A marca que deve predominar na vida de um cristão é a sua fé nEle e a manifestação do amor como efeito do amor pelo qual Ele nos ama. Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro. 1 João 4:19.

Ora! Fica tão obvio o fato de que nem a Deus o homem era capaz de amar como deveria! Quanto mas ao seu próximo. É necessário Jesus Cristo nos dá o Seu amor para que o homem seja capaz de amar. Pois, o que até então o ser humano entende como amor, muitas vezes não passava de um sentimento ou estado de espirito motivado por alguma razão de necessidade física. Vemos isso no amor carnal ou no emocional; seja ele maternal, filial, fraternal etc. todas essas formas que foram condicionadas ser chamada de “amor” é diretamente ligado a fatores que depende de alguma reciprocidade, estão ligados há uma reação para satisfazer a ação do outro. O que não ocorre com o amor demonstrado por Deus e levado ao extremo por Jesus Cristo: Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16 - Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. Romanos 5:8.

Nem Deus e tão pouco Jesus Cristo esperaram ou condicionaram os homens a nenhuma condição interna ou externa para que fosse consumado o plano de salvação elaborado para que quando chegando até nós pela Cruz; tenhamos a oportunidade de retornar ao caminho original traçado para a humanidade. E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manhã, o dia sexto. Gênesis 1:31.

Hoje lamentavelmente continua imperado no mundo o mesmo espirito de coisas que enganou o primeiro casal e ainda ilude os homens fazendo com que creiam que são autossuficientes; e há não quererem a dependência de Deus. Por todos os lados são visíveis às consequências danosas da ideia de uma liberdade falsa sem Jesus Cristo. Liberdade esta que necessita de agentes motivadores tais como: Drogas, bebidas, sexo, prostituição, adultério e levam há todos os descaminhos que acontece com quem se envolvem com estas coisas. Pois como foi escrito: Um abismo chama outro abismo, Salmos 42:7a.

Diferentemente vemos o comportamento de uma pessoa cujo Espirito Santo de Deus passa ser o agente motivador para lembra-lo qual o verdadeiro motivo para manifestar a nossa liberdade. O amor e os demais frutos que quem aceita Jesus Cristo deve desenvolver.

Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis então da liberdade para dar ocasião à carne, mas servi-vos uns aos outros pelo amor.
Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.
Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede não vos consumais também uns aos outros.
Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne.
Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis.
Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei.
Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.
Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei. Gálatas 5:13-23.

Se todas as pessoas que realmente aceitaram Jesus Cristo como seu salvador, procurasse ler com atenção e meditasse nos ensinamentos que estão em toda a Escritura Sagrada e principalmente para os que estão no Novo Testamento, iria entender que a vida com Cristo não esta de maneira alguma relacionada com as nossas condições materiais neste mundo . Podemos e devemos como cristão ter uma vida digna! No entanto não podemos esperar encontrar nas orientações exemplos e mandamentos da vida cristã ensinados por Jesus e os Apóstolos algo que possa vim “facilitar” a satisfação dos nossos mesmos desejos de quando ainda não conhecíamos a palavra de Deus. Desejos que não estão de acordo com os de Deus e ainda estão no coração de um cristão, continuam sendo: Paixão e Concupiscências.

E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Gálatas 5:24

Paixão = s. f.1. Impressão viva. 2. Perturbação ou movimento desordenado do ânimo. 3. Grande inclinação ou predileção. 4. Afeto violento, amor ardente.

5. O objeto desse amor. 6. Pena, cuidado, trabalho. 7. Grande desgosto, grande pesar. 8. Parcialidade.

Concupiscência (latim concupiscentia, - ae) s. f. 1. Desejo imoderado de satisfazer a sensualidade. 2. Apetite sensual.

Dai o porquê do apostolo Paulo afirmar que seria nos colocarmos novamente sob o julgo da escravidão., se uma vez que aceitamos verdadeiramente seguir e servir a Nosso Senhor Jesus Cristo tornemos a dar importância as coisas carnais. O que temos que procurar é desenvolver a nossa condição de crescimento e entendimento das coisas espirituais. - Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito. Não sejamos cobiçosos de vanglórias, irritando-nos uns aos outros, invejando-nos uns aos outros. Gálatas 5:25,26.

Esta deve ser a marca do cristão no mundo.

Mas:  É uma questão de liberdade vocês escolherem que marca te colocarão.

Assim é viver livre para Deus em Cristo: Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres. João 8:36.

Amém.

image

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Finalmente, fortaleçam-se no Senhor e no seu forte poder. Efésios 6:10

image

Princípios bíblicos que se aplicado em um lar cristão faz da relação pais e filhos uma relação de respeito mutuo e principalmente de agrado ao Senhor:

Filhos obedeçam a seus pais no Senhor, pois isso é justo.
"Honra teu pai e tua mãe", este é o primeiro mandamento com promessa:
"para que tudo te corra bem e tenhas longa vida sobre a terra".
Pais, não irritem seus filhos; antes criem-nos segundo a instrução e o conselho do Senhor. Efésios 6:1-4.

Para quem não esta acostumada à linguagem bíblica talvez não compreendam que mesmo utilizando a tradução mais próxima da linguagem atual, algumas orientações estão dentro do contexto da época em que foi escrito. Porém, separado os “avanços” ou correções de comportamentos entre as épocas. No geral vemos total coerência nos princípios que o apostolo Paulo ensinou como padrão dos lares cristão no que se refere aos filhos.

E também é possível vemos esta mesma preocupação quando se trata da relação dos senhores e os escravos. Princípios que hoje ainda se aplicam a Empregados e Empregadores:

Escravos obedeçam a seus senhores terrenos com respeito e temor, com sinceridade de coração, como a Cristo.
Obedeçam-lhes não apenas para agradá-los quando eles os observam, mas como escravos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus.
Sirvam aos seus senhores de boa vontade, como ao Senhor, e não aos homens,
porque vocês sabem que o Senhor recompensará a cada um pelo bem que praticar, seja escravo, seja livre.
Vocês, senhores, tratem seus escravos da mesma forma. Não os ameacem, uma vez que vocês sabem que o Senhor deles e de vocês está nos céus, e ele não faz diferença entre as pessoas. Efésios 6:5-9

Podemos ver que ele, por duas vezes aponta para este importante principio: Nós não devemos procurar agradar a pessoas Efésios 6:6. Nós não devemos fazer as coisas para que os outros as vejam e, se estamos longe dos olhares dos outros também não devemos, desleixar das nossas obrigações,. Nós devemos trabalhar como quem trabalha para Deus, que olha para nós o tempo todo. Efésios 6:7.

Talvez ainda continuem não entendendo onde estou querendo chegar, mas imaginem uma pessoa que passou 02 anos desempregada e que foi convidada a trabalhar em determinada função que aos seus olhos estaria aquém da sua capacidade, mas que resolva aceitar, porém, não procura desenvolver bem o trabalho por achar que esta sendo injustiçada. Ainda que o seu empregador de fato estivesse sendo injusto! Seria correto que também negligenciasse as suas obrigações? Deus não só repara no que fazemos, mas também recompensa tudo que fazemos. Efésios 6:8. Dai o porquê enquanto se estiver empregado devemos fazer tudo como se fosse para Ele.

Talvez ainda assim, continue achando estranhos esses ensinamentos, uma coisa, no entanto é provável que aconteça. As pessoas vão esquecer rapidamente você fazia seu trabalho, mas elas vão lembra o quão bem feito você fizer. Ainda mais se no fim das contas, nós trabalharmos para nós mesmos e para Deus. Este é o motivo pelo qual começando pela aplicação dos princípios cristãos na família é possível esperar que tenhamos atitudes corretas também profissionalmente.

Após o versículo 10 o apostolo Paulo deixa muito bem esclarecido de que erra quem pensa que não praticando os princípios acima, possam esta por assim dizer: Exercendo o direito de uma vingança pessoal. O Apostolo mostra que não devemos nos opor a pessoas. Pois, não são elas que provocam as injustiças que muitas vezes realmente somos vitimas.

Vistam toda a armadura de Deus, para poderem ficar firmes contra as ciladas do diabo, pois a nossa luta não é contra pessoas, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais. Efésios 6:11-12.

A partir desta verdade, ele passa a nos ensinar a usar não somente da armadura, mas de todas as outras armas dadas por Deus para que em Nome de Jesus Cristo possa nos defender do verdadeiro inimigo:

Por isso, vistam toda a armadura de Deus, para que possam resistir no dia mau e permanecer inabaláveis, depois de terem feito tudo.
Assim, mantenham-se firmes, cingindo-se com o cinto da verdade, vestindo a couraça da justiça e tendo os pés calçados com a prontidão do evangelho da paz.
Além disso, usem o escudo da fé, com o qual vocês poderão apagar todas as setas inflamadas do Maligno. Usem o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus. Efésios 6:13-17.

Estamos vivendo dias em que a globalização mundial, tem trazido para alguns; esperança e para muitos outros; desespero. E esta constante instabilidade determina muitas vezes as motivações que levam a uma pessoa seja de qual classe social esteja inserida, pratique atos que vão desde ao suicídio até o assassinato, todos os dias vemos nos noticiários histórias de pessoas antes tidas como normais, praticando de atos isolados de violência ou massacre coletivos. Claro que não estou afirmando que todos os casos de violências são provocados pela falta de emprego ou pelas injustiças trabalhistas. Contudo é notório, que quanto menos oportunidade de ser inserida na cadeia produtiva uma pessoa tem. Mas, provavelmente ela terá para si mesmo justificativa do porque de atos extremos.

Como diz um ditado popular: A mente vazia é oficina do diabo.

É claro que não estou esquecendo que também é um fator que leva as pessoas a outros caminhos esperando encontrar soluções, entre estes caminhos, entretanto é raro vermos uma pessoa buscar a Cristo. Dai, a necessidade de tentar levar da maneira mais simples possível a palavra de Deus exatamente como Jesus Cristo fez.

Não existe formulas modelo ou outra maneira de propagar o evangelho que não seja simplesmente anunciar e ensinar quem é Jesus Cristo. E para isso não há outra fonte que no seja o Novo Testamento.

Porque comecei dando exemplo da aplicação dos princípios cristãos pela família? Por ser o alvo principal do inimigo, pois o diabo sabe que de uma família desestabilizada inicia-se todas as tragédias que atinge o homem. Principalmente por se também a família a principal instituição criada por Deus.

Toda a Escritura Sagrada e particularmente o Novo Testamento mostra os princípios elementais para o homem ter uma vida cheia de coisas realmente boas, ainda que não de acordo com os parâmetros humano comuns que não consegue satisfaze-los, porém de toda a Graça dada por Cristo. Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites. Tiago 4:3.

Portanto: Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.Mateus 6:33.

Amém.

image

Deus está no controle!

Ainda que eu não te ouça, pois o mundo faz de tudo para te calar! (Trecho da Canção Mar de Vidro de Rodolfo Abrantes) Apesar das inúmeras v...